Bairro Pantanal recebe novas cores - Ação do RCF Lanatanpa

Nesse último fim de semana aconteceu a 12ª Edição RCF Lanatanpa. O evento rolou no bairro Pantanal localizado no segundo distrito do Município de Duque de Caxias.

O bairro acabou por receber esse nome por ser tratar de um local pantanoso e é   conhecido por ter a antiga chácara do Tenório Cavalcante.

Comecei a frequentar o Pantanal, Vila Rosário e imediações no final dos anos 80 inicio dos anos 90 e sempre via o local como uma grande fazenda e um lugar de paz, talvez por ter um olhar de criança. Não posso dizer com precisão quando essa paz acabou ou se em algum momento ela existiu por ali. O fato é que há pessoas que realmente se preocupam com o seu território e com o futuro das crianças que ali residem e de alguma maneira pedem paz.

Desta vez falo da Professora e guia de  turismo JulianaMaia que mora no Pantanal desde os anos 80 e viu e viveu muita coisa por ali. Há um ano junto com o esposo fundaram o coletivo Lanatanpa, um coletivo que tem como aporte a cultura hip hop e o nome do coletivo provém do próprio nome do bairro, só que escrito de forma contrária. E, é de forma contrária ao sistema que o Lanatanpa vem desenvolvendo atividades dentro do bairro para os adolescentes e dessa forma intervir na educação dos mesmos. No inicio o coletivo procurou por diversas secretarias do Município para pedir apoio ao evento   com banheiros químicos, por exemplo, mas recebeu apenas uma “boa sorte” devido ao pouco recurso financeiro que a prefeitura possuía no momento! E, o coletivo Lanatanpa pegou o “Boa Sorte” e fez o evento acontecer na garra.

Dessa vez a ação foi em um local que estava virando ponto de lixeira e trazia malefícios para o bairro e em especial a Rua Rouget Lisle. Nessa rua fica o antigo Colégio Jardim Cristina que era uma escola privada e funcionou até 2002 quando passou a ser do poder público. Logo após a Prefeitura reativou a escola com o nome de Escola Municipal Clara Machado, entretanto não teve nem um ano de funcionamento, pois foi interditada devido ao barranco que apresenta risco ao local e até agora nada nenhuma providência foi tomada para essa situação.

E, para amenizar a imagem que se encontrava em frente à escola o Lanatanpa  foi dialogar com moradores e comerciantes para conseguir: material e alimentação para os artistas convidados, um desses moradores foi o vereador Clovinho que agiu e conseguiu melhorar a calçada da escola desativada colocando pneus com terra e plantas.
Devo ressaltar que o Projeto Família Lantanpa não tem apoio nenhum dentro de suas ações, porém resiste com a ajuda de amigos e a garra do DJ Maia, também idealizador e único investidor do sonho Lanatanpa. A ação de graffiti foi realizada com doações por amigos das redes sociais e moradores.
Os artistas convidados para a revitalização do local foram: Rodrigo Mais Alto da BF; Napô, Lu Brasil, Slow da BF,Aquilas ManoBeiço, Mc Martina, entre outros que colaboraram para que tudo acontecesse. O resultado foi mais um evento de resistência dentro da periferia, afinal, a periferia é resistência e muitas vezes são coletivos e ações como esta que acabam fazendo o papel que o poder público deveria fazer.

Confira um pouco do que rolou no VÍDEO do canal Diário da Periférica Lu Brasil

  1. Muito honrada em ter sido convidada para colaborar com minha arte nessa ação.

 

Vida longa ao Lanatanpa!

.

Lu Brasil
https://periferiaemmovimentos.blogspot.com