Eu cheguei lá às 15:00h. Já tinha uma galera falando sobre seus corres culturais nas periferias, já tinha um bit bom demais tocando, já tinha uma exposição de fotografias e eu fiquei ali observando a potência daquele espaço.

Aquelas pessoas estavam aií, em um sábado, a tarde para recitar poesia. Logo eles? Logo nós que aos olhos da maioria ocupamos o não-lugar por sermos analisados como não-sujeitos ou até sujeitos-menos. Menos por nossa causa e mais pela incapacidade de olhar o próximo além dos bens que o nosso próximo tem. Achei o movimento incrível.

Desde 2018, quando criei o @slampoeticorj junto com a galera do @laboratorioperiferico, nunca tive a ideia de me por a distância suficiente para analisar a coisa no momento que está sendo coisada, e a coisa é que estamos construindo, devagar claro, um espaço social incrível. Afetuoso, potencializador e isto é tudo.

Galera do Sarau na Biblioteca Comunitária da Vila Aracy Foto: @lpalinceproducoesartisticas