Por que você nos deixou? A pergunta que não quer se calar. Hoje é um dia muito triste para mim, dor. Você é uma estrela. O Criador o recebe. O Orun está pronto para te acolher com sua arte que nos fez e faz tanto bem. Ọlọrun no dê força! Ele diz: “– minha arte, minha vida.” A resposta.
Seu nome artístico: Carlos Muttalla, assim o conhecemos. Agora no Orun. Ele partiu, foi embora daqui, do nosso convívio, das nossas conversas, dos encontros e, principalmente, das artes destas Terras. Ultimo dia de fevereiro, mês do Carnaval, o que ele decididamente amava muito, foi brilhar em outra dimensão. Sabe alguém ensaiava, fazias coreografias para sua amada escola de samba, que desfilava e saia em todos os blocos possíveis? Sim, era ele. Um câncer o levou, de forma sorrateira e rápida, justamente no último dia do ano em que o Covid19 impediu que o povo ocupasse as ruas com a maior Festa do Planeta. Que triste ironia. Talento e vocação exemplos aqui nesse plano, que vai seguir no Orun. Agora ele vai dançar ainda mais, em especial com os Òrìṣàs, com nossa Ancestralidade. Segue na sua missão: fazer-nos melhores. Copiando: O sorriso mais largo do mundo!!!

Artista gigante de Duque de Caxias, do Mundo. Excelente bailarino, coreógrafo, ato, diretor, mestre. Seu corpo vibrava sua voz primorosa e doce, ainda ecoa dentro de mim. Com sorriso largo e envolvente nos convidada a alegria e ao bem estar, a energia. Durante anos ele foi meu vizinho e nos convidada o tempo todo para estarmos juntes. Excelente ser humano, profissional exemplar, honesto e leal, com inteligência acentuada, competente e muito sensível. Agradeço imensamente todo o tempo que estive contigo.

Já imaginou alguém que aos 15 anos deixa São Luiz, no Maranhão, para se aventurar nas terras de Duque de Caxias? Quem é da Baixada Fluminense, só para ficar aqui, com certeza que sim. Ele não foi o primeiro e não será o último. Falo de Carlos Augusto de Castro, que neste ano faria 62 anos, quarenta e sete deles dedicado ao que mais amou: a arte de dançar e interpretar. Aqui em Duque de Caxias já havíamos sido apresentades e a vida nos uniu mais ainda em 2002, quando estive subsecretária de cultura do nosso município, sim Muttalla era duquecaxiense, o adotamos como um filho belíssimo. Criamos a primeira Companhia Municipal de Dança de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Meu afeto, respeito e profunda gratidão.
Muita força para os familiares e amigues. Para sempre em nossos corações. Asé!


Sílvia de Mendonça

Formada em jornalismo e produção cultural, Sílvia de Mendonça também é atriz e ativista do Movimento Negro Unificado (MNU). Também tem presença nas lutas contra intolerância religiosa, juventude negra e direitos humanos.

More Posts