Matéria muito boa do site da Casa Fluminense sobre a Lei de Acesso à Informação na Baixada. Por Manuela Andreoni em 10 de setembro de 2015

.

Dois anos depois do fim do prazo para adaptação, prefeituras ignoram ferramentas de transparência de dados públicos

Os olhos piscam, a testa franze, as palavras demoram a sair entre as mascadas de chiclete: “pedido de quê?”. A recepcionista da Prefeitura de Duque de Caxias não tinha resposta para a pergunta da repórter sobre um pedido de informação. Não era a única. Questionado sobre o portal da transparência de seu município, um funcionário do Departamento de Licitações da Prefeitura de Nilópolis foi sincero: “nem sabia que existia isso”, disse, enquanto acessava a aba “Transparência” do site do município pela primeira vez. Em Belford Roxo, depois de longa explicação sobre a Lei de Acesso à Informação (LAI), uma funcionária da Secretaria Municipal de Fazenda resumiu: “o que você quer é um governo, mas isso aqui é o desgoverno”.

Durante um mês, a reportagem do ForumRio.org foi a três municípios da Baixada Fluminense – Duque de Caxias, Belford Roxo e Nilópolis – e fez o mesmo pedido de informação: acesso aos contratos entre prefeituras e empresas de ônibus responsáveis pelo transporte público municipal. O objetivo era averiguar o quão transparente era cada uma dessas prefeituras.

[Ler na íntegra…]

.

Lei de Acesso à Informação ainda é um mistério na Baixada Fluminense

 

 


heraldo hb

. Animador cultural, escritor e produtor audiovisual nascido no século XX. .

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookFlickrYouTube