Os próximos passos da banda Leptospnoise – se liguem!

banda Leptospnoise

A banda Leptospnoise, originária de Duque de Caxias, Baixada Fluminense (RJ) e fundada em 1996, com a proposta de promover um holocausto sonoro unindo elementos do Hard Core finlandês e do Grindcore com algumas pitadas do Metal extremo, teve o seu fim precoce no ano seguinte, 1997. Após 25 anos de inatividade, o seu fundador, o poeta e agitador cultural, Gutemberg F. Loki, o “Tubarão”, reativou a Leptospnoise com uma formação “relâmpago”, que contou com Leonardo Elias “Menor” (baixo, Sub – Atitude, ex – V. N. S), Vassilis (guitarra, ex – Espermogramix) e Gago (bateria, ex – V. N. S.), dessa forma, a Leptospnoise participou da gravação de um medley da finada banda Reprecaos para a coletânea Clássicos Punk Vielas do Rio, onde a ideia era que as bandas que estão na ativa, prestigiarem as bandas antigas e suas músicas, que em muitos casos, não estão disponíveis em nenhum lugar. Após isso, junto ao baterista Fábio Santana, reformulou a banda trazendo os músicos Marlon França (guitarra) e Hericlys da Paz (baixo), todos os três, da extinta banda Visionários e que também estavam tocando a Facção Hard Core. Essa formação produziu, em pouco mais de quatro meses, bastante músicas e montou um show muito intenso e brutal de 30 minutos. Foram apenas três apresentações: a primeira, no Alternative Rock, no Pub Rock, em Jardim Primavera, em Duque de Caxias, a segunda no Barulho Solidário, no Gato Negro Pub, em São João de Meriti e a última, no Estúdio MDM, na Lapa, durante o segundo show de lançamento da coletânea Clássicos Punk Vielas do Rio, onde tocaram ao lado da lenda extrema do Punk, a Atack Epiléptico (BH) e das cariocas Sub – Atitude, Pós -Sismo, Vozes do Abismo, Espermogramix e Pesadelo Cotidiano.

Nas três apresentações, o feedback sempre foi muito positivo por parte do público e de integrantes das outras bandas presentes. Mesmo assim, o guitarrista Marlon e o baixista Hericlys, resolveram sair por motivos pessoais. Tubarão e Fábio, não desanimaram e o baterista, em tempo recorde para uma banda underground, conseguiu em três dias, recrutar duas novas pessoas para as vagas deixadas. São elas, Cida Campos (baixo) e Alexandre Diniz (guitarra). Entretanto, devido a um pequeno empecilho de compromissos, a banda só pode se reunir e voltar a ensaiar, no último sábado, dia 26 de Novembro, no maravilhoso Grindhouse estúdio, na rua do Senado, 72, no Centro do Rio. E o clima foi o melhor possível e a animação imperou em todos os momentos! A banda produziu quatro novos sons e tocou duas músicas da formação anterior, deixando todos muito animados!

A Leptospnoise está viva e de volta ao jogo! Está cheia de planos para o ano de 2023, que incluem a gravação de um EP, que pretendem lançar, a princípio, logo no primeiro semestre! A vinda dos novos integrantes já começou a somar muito ao som destruidor da banda, que logo, logo, estará de volta aos palcos!

#brazilianhardcore #grindcoremusic #hardcorepunk #noisecore #grindcoreband #leptospnoise


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.