Para começo de conversa, tem muito tempo que não escrevo nesse blog. Acho que desde que entrei para o Mestrado, depois que entreguei minha dissertação por algum motivo que até eu mesma desconheço rs, protelei para voltar a escrever aqui. Mas agora acredito que já está mais do que na hora de voltar a escrever com a liberdade de antes, porém, mais consciente. Em breve farei uma postagem sobre o que rolou comigo nesses últimos tempos, por hora vamos de Rolé da Periférica.

Esse meu rolé foi especial, pois foi em minha segunda casa. No dia 13 de Maio comemora-se o dia em que a princesa Isabel assinou A Lei Áurea. Mas, infelizmente os negros não foram beneficiados em sua totalidade com o fim da escravidão, alguns continuaram sendo escravos, pois não tinham onde morar e nem como se sustentar. Outros, no entanto, foram morar nas ruas, pois mesmo não tendo onde morar e comer os negros preferiram perambular que continuar se submetendo aos desmandos dos senhores de escravos. O Brasil tem uma dívida social com os negros e 129 anos depois a luta ainda continua. Nesse contexto, o II Encontro de Reflexão do Dia Nacional contra o Racismo levou para a FEBF questões como: Por que estudar a África?, o Protagonismo das Mulheres Negras na História do Brasil, vídeos, debates e principalmente a reflexão do que mudou nesses 129 anos e como podemos nos articular para continuar combatendo principalmente o racismo e a desigualdade social em que o negro foi colocado mesmo com sua liberdade em mãos. Além disso, teve o encontro com um Griot – “Contação de História” e a tradicional feijoada dos pretos velhos.
Mas, essa duas eu não pude ver muito, pois o evento foi até às 21h e como eu estou tratando de uma forte pneumonia preferi não ficar até o fim. (Eu até falei sobre isso no vídeo do rolé, mas optei por cortar rsrs) A programação na FEBF começou logo na parte da manhã e foi além da reflexão sobre o dia 13 de maio. Paralelo a este encontro, na parte da tarde houve também a “atividade aberta da disciplina do mestrado Cultura, Economia e Política (ou Vamos andar pelas cidades?) oficina “O audiovisual e as Memórias das cidades”, com a equipe do Ponto de Memórias da TV Maxambomba, coordenado pelo CECIP – Centro de Criação de Imagem Popular”. A Cientista Social Ana Paula Alves Ribeiro (Professora na Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação (PPGECC)- FEBF) mediou esse encontro. Em particular fiquei muito grata por presenciar e registrar a apresentação da Gianne Neves e Luiz Carlos lima sobre o acervo da TV Maxambomba, pois os conheci através da TV Pinel, local onde trabalhei como assistente de produção entre 2013 e 2014 (seu último ano de funcionamento). Eles trouxeram reflexões sobre o resgate da memória da nossa BF e como disponibilizar esse acervo para futuros pesquisadores. Alguns vídeos já podem ser visualizados na playlist do Cecip. Enquanto todo o acervo não é disponibilizado podemos reviver a BF dos anos 80 e 90 e fazer uma análise, por exemplo, da cidade de Duque de Caxias nesses anos e suas transformações nos dias atuais. Esse foi o primeiro encontro da Oficina “O audiovisual e as Memórias das cidades”, o pontapé inicial para a divulgação desse acervo. Parabéns aos envolvidos.  Na terceira parte do meu rolé (a noite), pude presenciar a montagem da exposição do coletivo Negras[Fotos]grafias organizado pela cientista social e coordenadora do Núcleo de Estudos Visuais em Periferias Urbanas – NuVISU//CNPq-UERJ Barbara Copgue. Além dessa expô, houve contação de história com Edilson Macedo Moraes – Griôt, feijoada e exibição de vídeo, como eu havia mencionado no início. Ou seja, das 10h da manhã até às 21h a minha segunda casa ferveu em cultura e conhecimento, mesmo com toda a situação que a Universidade vem enfrentando. Mas, hoje na data dessa postagem FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA BAIXADA FLUMINENSE(FEBF/UERJ) ENCONTRA-SE TRANCADA. Isso devido a uma paralisação de 24h dos técnicos da instituição. Eu apoio, pois como li na postagem do OCUPA FEBF, “AULA É IMPORTANTE E SALÁRIOS TAMBÉM!” Ainda irei dar muitos rolés na FEBF, não sei se irei registrar todos (acredito que não), mas esse do dia 12/05 vocês podem ver o resumo em vídeo nesse LINK. O vídeo tem menos de 20min e foi gravado com um celular, então não reparem no áudio (Tentarei resolver esse problema assim que tiver dinheiro para comprar um microfone direcional rsrs) PS. APROVEITEM E INSCREVAM-SE EM MEU CANAL: DIÁRIO DA PERIFÉRICA LU BRASIL para ficarem ligados nos próximos rolés.