Na sexta-feira passada (22/03), na Biblioteca Leonel Brizola, foi apresentada a política municipal de Livro e Leitura de Caxias. Um momento importante, resultado de um acúmulo de forças (modesto) do movimento popular da cidade, que conseguiu colocar na agenda municipal um tema tão caro como o Livro e a Leitura. Sobre esse assunto tenho três considerações a fazer.

O primeiro ponto é a presença do professor Antônio Carlos na direção da Biblioteca Leonel Brizola e na coordenação da política municipal de Livro e Leitura. Antônio possui uma caminhada séria no movimento popular. Fundou a Biblioteca Comunitária Solano Trindade, no bairro do Cangulo, desenvolveu um trabalho de referência em parceria com diversos colaboradores e foi reconhecido pela coordenação do Plano Nacional do Livro e Leitura. Além disso, o Antônio e a Biblioteca Solano Trindade foram os principais mobilizadores e articuladores das discussões que culminaram no 1° Encontro Municipal do Livro e Leitura, em julho de 2011. Por esses e outros motivos, é bom ver alguém com bagagem migrar da sociedade civil para o governo com a missão de construir e implementar o Plano Municipal de Livro e Leitura (PMLL) na cidade de Duque de Caxias.

O segundo ponto é a necessidade descobrir, mapear e dar visibilidade às bibliotecas comunitárias, às salas de leitura, aos mediadores, aos contadores de histórias, aos saraus e às várias iniciativas de promoção da leitura que existem pela cidade e não são reconhecidas. É necessário mergulhar na cidade e buscar as práticas de mediação de leitura desenvolvidas por diversos protagonistas para registrá-las e multiplicá-las. Vale destacar que já está em marcha uma parceria entre o Instituto C&A e a Rede de Bibliotecas Comunitárias de Duque de Caxias com o objetivo de apoiar técnica e financeiramente quatro bibliotecas comunitárias da cidade. A cidade precisa se conhecer mais e investir nas suas potencialidades. É preciso investir nas pessoas.

O terceiro ponto é uma aposta nos próximos capítulos da movimentação política e cultural. Acredito que a mobilização para reuniões do PMLL nos quatro distritos, a conferência municipal do Livro e Leitura, a dinamização da Biblioteca Leonel Brizola, o chamado aos escritores da cidade, – somado à criação da Caxias TV e o agito dos movimentos culturais – são elementos capazes de mexer com o lodo no fundo da bacia. Um chamado para assumirmos algumas responsabilidades com a cidade e ampliarmos nossa articulação em rede. Um farol que possa atrair novos personagens e apontar caminhos para a construção de políticas públicas na cidade.

.

contato: hrqsilveira@gmail.com

Biblioteca Municipal Leonel Brizola
Biblioteca Municipal Leonel Brizola – foto: Henrique Silveira

 


Henrique Silveira

Henrique Silveira é geógrafo e mestre em Comunicação e Cultura pela UERJ/FEBF. É o Coordenador Executivo da Casa Fluminense.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebook