Dos fatores que demonstram que Duque de Caxias vive um momento especial de esperança em transformação, o principal deles certamente não está ligado à economia ou a qualquer outro desses índices que os burocratas tanto gostam de propagar (quase sempre maquiando números ou surfando no trabalho alheio). O principal fator desse alento está ligado a um aspecto moral intimamente conectado à juventude da cidade.

Isso porque há décadas que Caxias tem um dos maiores orçamentos do país e recebe empreendedores de fora que enxergam rapidamente que aqui tem tudo para ser uma terra de oportunidades. E também não é de hoje que a pujança econômica das atividades ligadas ao petróleo naturalmente criam um aquecimento econômico em seu entorno e em forma de impostos. Então, não é por causa de nada disso.

Sim, o assunto é chato de se tocar, mas é de fácil percepção. Uma das maiores desgraças desta terra de Lima e Silva é o fato de que durante décadas a juventude local pouco se envolveu com os rumos da cidade, com o desejo de criar aqui um espaço de cidadania, com planejamento e melhores condições de vida. Sempre houve um sentimento e um desejo de se “melhorar de vida” e se mudar para a cidade do Rio de Janeiro, principalmente quando a galera começa a entender como Caxias tem administrações toscas, políticos ridículos e falta total de visão de futuro.

Pelo menos esse sempre foi o movimento em massa principalmente dos universitários moradores, apesar das honrosas e destacadas exceções. Só nas últimas décadas esse movimento parece estar se invertendo ou equalizando. O Pré-Vestibular para Negros e Carentes (PVNC), por exemplo, foi uma das primeiras iniciativas que criou um sentimento de retorno à cidade, isso em meados da década de 90.

Com o início do século, e principalmente nesta década, a Internet tem tido uma importância fundamental para que a juventude descobra que a cidade não é só mediocridade, e que há muita gente aqui partilhando sonhos, desejos e perspectivas. Hoje é possível saber que há por aqui uma história rica, há uma pujante Mata Atlântica, talentos na Cultura e na Ciência e um caldo grosso humano que vem justamente da formação do povo, misto de várias partes do país.

Mesmo com governos corruptos e/ou falidos, esse sentimento de descoberta vem crescendo a olhos vistos. Apesar de nulidades como a massa do Legislativo nesses anos todos, há gente querendo voltar à cidade para construir e participar; há uma molecada querendo intervir na vida da cidade para melhorar, querendo ver os milhões de arrecadação sendo direcionados para a qualidade de vida e não patrocinando mansões na Barra.

Mesmo continuando com uma classe política vergonhosa a impressão nas ruas é que há no ar um clima de revolta e vigor – típicos da natureza historicamente transformadora da juventude. Que essa energia consiga criar uma reviravolta nesse cenário desolador em que Duque de Caxias se encontra.

Amem e amém.


heraldo hb

. Animador cultural, escritor e produtor audiovisual nascido no século XX. .

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookFlickrYouTube