Rio Jacatirão -  Duque de Caxias - foto Alberto Ellobo

As laterais da canalização do Rio Jacatirão, que corta dez bairros desde sua nascente, no Centro de Duque de Caxias, necessitam urgentemente de manutenção e reformas estruturais. A acomodação do terreno e o trânsito de veículos em suas vias marginais (a Avenida Visconde de Cairú) tem provocado danos cada vez mais sérios às contenções concretadas. Vários trechos já desmoronaram ao longo dos últimos oito anos.

Há cerca de um mês, porém, aconteceu o caso mais grave: um pedaço de quase 50 metros da galeria foi tragado pelo leito do rio provocando fissuras no asfalto, que cedeu levando parte da via (foto). A mesma encontra-se interditada em sua margem esquerda no trecho entre as ruas Cosme Velho e Itu, no bairro Vila Leopoldina III.

O Rio Jacatirão é o mais importante canal do Primeiro Distrito de Duque de Caxias. Partindo da sua nascente, próximo à estação ferroviária do Centro do município, ele cruza os bairros Paulicéia, Circular, Vila Itamaraty, Itatiaia (trecho), Carolina, Jacatirão, Vila Leopoldina II, Copacabana, Vila Leopoldina III e IV e o Sarapuí, entregando suas águas ao Rio Sarapuí na altura do bairro Jardim Gramacho (próximo à comunidade Paraopebas).

Considerado um rio morto, o mesmo é motivo de preocupação constante para a população dos bairros próximos – seja pelas constantes cheias ou pelo mau-cheiro, além de por favorecer a proliferação de insetos e outros animais indesejáveis à saúde humana. Sua canalização, iniciada em 1995, foi concluída em 1998, porém, a última limpeza foi feita ainda em 2011.

Ao longo de seu curso, o Rio Jacatirão recebe águas dos rio Centenário I e II, e do Valão do Bananal (que nasce próximo ao Gramacho). No trecho entre o Centro e o bairro Vila Leopoldina II ele corre por galerias subterrâneas, porém, a partir desse ponto segue exposto à céu aberto. Por conta disso – e devido aos péssimos hábitos ambientais da sua população ribeirinha – o mesmo constantemente vira depósito para lixo, entulho, móveis, animais mortos e toda sorte de impurezas que são descartadas em suas águas já poluídas pelos dejetos sanitários.

Praticamente todas as ligações de esgoto e águas pluviais de pelo menos quinze bairros são direcionadas para seu curso, pois, Duque de Caxias não possui uma estação de tratamento de esgotos sequer, apesar de ser a 2ª maior economia do estado do RJ e a 8ª do país.