A cidade de Duque de Caxias possui um importante e vistoso cartão de visitas: chegando pela Rodovia Washington Luiz, entrando pela Avenida Brigadeiro Lima e Silva depara-se com o bairro 25 de agosto. Urbanizado, organizado e com todos os serviços públicos funcionando. Diferente, muito diferente, dos outros bairros da cidade.

Este bairro era parte da Fazenda Engenho Velho, conhecida como Fazenda das Macieiras. Entre 1940 e 1942 ela foi vendida à Empresa de Melhoramento Duque de Caxias LTDA que em 1951 a loteou. Curiosamente Braulino Reis, o corretor responsável pelo loteamento, era também tabelião do Terceiro Ofício de Notas de Duque de Caxias, tornou-se prefeito da cidade e deputado estadual.

Sendo um dos poucos bairros planejados da cidade quando foi loteado ele possuía uma pedreira onde hoje está instalada uma praça e parte da UNIGRANRIO. Os engenheiros Vicenzo Barrese e José Gaspar Corrêa Meyer o projetaram e o lotearam com a preocupação de padronizar as futuras construções. Este recurso encareceu os lotes e fez com que pessoas mais abastadas ali se instalassem, ao contrário do que ocorreu no restante da cidade que foram ocupados por pessoas com menos recursos.

A Praça da Pedreira e a UNIGRANRIO instalaram-se na antiga pedreira que forneceu pedras para o calçamento a Rio-Petrópolis, atual Presidente Kennedy, e para algumas ruas do bairro. No início da década de 50 a luz chegou através de um “puxadinho” que vinha de Vigário Geral. Água encanada só chegaria em 1960. Até hoje muitos moradores do bairro mantém seu poços.

Em 1953 a Empresa de Melhoramentos doou para a cidade a “Casa dos Prefeitos” situada na rua Piaui. No ano seguinte, com Braulino Reis governando a cidade, doou o terreno e construiu o “Maracanãzinho de Caxias”, batizado como Estádio Municipal de Duque de Caxias, atual Vila Olímpica. Em 1957 a prefeitura instalou-se na Praça do Praça do Riachuelo, atual Praça Governador Roberto Silveira. João Bicheiro construiu sua mansão onde hoje é o Banco Bradesco e em 1969 a Câmara Municipal ocupou o prédio atual.

Após mais de cinco décadas poderíamos fazer a seguinte indagação: por que outros bairros que surgiram na mesma época não tiveram a mesma atenção do poder público e, conseqüentemente, não se desenvolveram da mesma forma?

 

25 de Agosto
Rua da 25 de Agosto Foto: Ju Pestana – http://jupestana2.blogspot.com.br/

 


Alexandre Marques

Alexandre Marques é professor de História. Contato: alxmarques@ig.com.br

More Posts