Paullo Ramos é um artista inquieto, plural e generoso. Inquieto porque vive em constante movimento com sua arte desde sempre. Plural, porque aborda todos os sentidos do mundo e da vida. Generoso porque divide com a gente e com seus alunos o saber e o sentir artísticos acumulados em uma vida plena de fazeres e criações.
Atualmente Paullo Ramos está desenvolvendo o projeto “Arte itinerante”, que leva as praças e locais públicos da cidade sua capacidade criativa.
Em poucas perguntas tentamos aqui decifrar e dividir com nossos leitores o pensamento e a ideia de criação de Paullo Ramos.


Como é esse projeto de arte itinerante?

– Um grande artista falou certa vez que “A arte tem que ir onde o povo está”, e a filosofia do atelier Arte e Fato é consolidar o projeto “Escola de Arte sem Paredes” que inicia a criança, o adolescente e o adulto no maravilhoso mundo das artes plásticas de uma forma muito livre. Então a maior propaganda é convidar o povo para conhecer o nosso atelier mostrando como e o que é feito ao vivo e em cores e em 5D

Qual a intenção? 
 

– Mostrar a importância da arte como elemento interativo entre razão e emoção em nossa sociedade altamente agredida com a insensibilidade e a desumanização, de uma forma dinâmica e agradável.

Seus alunos participam do projeto? 

– O projeto trabalha o pensar coletivo e humanístico e isto torna o aluno um colaborador ativo. Mostramos também que ele é o protagonista quando fazemos exposições de suas obras ou quando ele vende. O aluno é também o nosso maior patrocinador.

Há quanto tempo você faz arte na cidade? 

– A minha primeira participação em uma exposição “a vera” foi em 1969 no II Salão Duquecaxiense de Pintura, então são 44 anos de arte caxiense. Mas consegui fincar a bandeirinha de nossa Caxias em alguns pontos estratégicos, um do “outro lado do mundo”, em Tókio e outro no “fim do mundo”, em Ushuaia. Citei apenas os dois por serem extremos.

Como é fazer arte em uma terra embrutecida pela lógica do Deus grana?

– Por ser budista a minha base é politeísta e isto ajuda a capitalizar diversos valores, que são, humanos, afetivos, espirituais, mentais e outros que fertilizam culturalmente a minha Flor de Lótus. Mas não é fácil.

A arte itinerante de Paullo Ramos

Resume um pouco a sua trajetória artística pra gente? 

– Nasci em 1950 na Rua das Laranjeira e com 8 anos mudamos para Duque de Caxias, sempre desenhando pelos cantos e ficando de castigo por ser “canhoto”, com 13 anos pintei o meu primeiro quadro à óleo (50 anos de vivências e convivências extraindo do branco as infinitas possibilidades pictóricas na tentativa de ver um mundo melhor), hoje posso afirmar sem nenhuma dúvida: Amo o que faço e sou apaixonado pela arte! Isto não foi um resumo e sim um convite para você, leitor, nos ajudar a difundir um pequeno espaço de arte em Duque de Caxias, pequeno fisicamente, mas grande em sonhos e realizações:

Atelier Arte e Fato – Rua General Câmara 18 bairro 25 de Agosto – Duque de Caxias – (21) 2671-1758


Vicente Portella

Nascido em Duque de Caxias, é escritor, compositor e poeta. E tricolor.

More Posts - Website