A Casa Fluminense realiza no dia 25 de novembro a décima edição do Fórum Rio, evento que vai debater o Rio metropolitano e suas prioridades, incentivando convergências da sociedade civil para defender uma visão de longo prazo para o Rio em 2018, que tenha a redução das desigualdades territoriais como prioridade da ação pública e a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável da ONU como horizonte a ser perseguido no Estado.

No 10° Fórum Rio também haverá o lançamento do Painel do Legislativo, plataforma amigável para acessar a produção legislativa da ALERJ no período 2014-2017; e o Caderno de Experiência de ODS no Rio metropolitano, com o mapeamento de iniciativas que visam territorializar, monitorar e incidir na implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. As publicações são ferramentas que buscam ampliar o monitoramento e controle social das políticas públicas pelo cidadão.

O Fórum acontece duas vezes ao ano e sempre é realizado em um território diferente da metrópole. Dessa vez ocorre no Galpão da Ação da Cidadania, na região portuária do centro do Rio, para marcar os 20 anos sem Betinho e o retorno da Campanha Natal Sem Fome da Ação da Cidadania, no momento em que o Relatório Luz da Sociedade Civil sinaliza o aumento da fome no Brasil. Vale destacar que o Galpão fica localizado em uma área de grande importância histórica, onde desembarcaram milhares de negros africanos escravizados no Rio, ancestrais de grande parte dos trabalhadores que constroem hoje a metrópole: O cais do Valongo!

Polo de redes

O desafio da Casa Fluminense é fomentar articulações na sociedade civil metropolitana para a construção, a defesa e o monitoramento da Agenda Rio, um documento com visão e propostas de políticas públicas para reduzir desigualdades no Rio. Essa mobilização da sociedade civil busca aumentar a transparência e o controle social sobre a gestão pública, respeitando as identidades e a autonomia de cada organização, construindo confiança e modos horizontais de atuação.

Programação

A programação da 10ª edição do Fórum, criada a partir de um processo coletivo e colaborativo, contará com 22 atividades coordenadas por diferentes organizações e que terão a redução de desigualdade territoriais no Rio – capital, baixada e leste – como tema transversal. O evento dará destaque para a identidade metropolitana, regional e fluminense, criando um espaço de mobilização, formação e difusão de ações da sociedade civil de forma conjunta.

Entre temas que serão tratados na programação, destaque para: apresentação do Plano de Desenvolvimento Metropolitano (PDUI), transparência e tarifa do Bilhete Único, segurança pública e a superação da narrativa da guerra no Rio, crise fiscal e saídas possíveis, revisão dos planos diretores, cadeia produtiva da reciclagem, fomento à cultura, sustentabilidade do terceiro setor, violência contra a mulher e intolerância religiosa. O público também encontrará uma feira de integração com a participação de diversas organizações e coletivos, além de apresentações culturais.

Entre em contato ou acesse o Mapa da Desigualdade para obter mais indicadores.

Cidade metropolitana comum – Da Baixada, do Leste, do Rio inteiro

Formada em 2013 por ativistas, pesquisadores e cidadãos identificados com a visão de um Rio mais integrado, a Casa Fluminense acredita que a realização deste horizonte passa pela afirmação de uma agenda pública aberta à participação de todos os fluminenses e destinada universalmente a todo o seu território e população, não apenas – ou prioritariamente – às áreas centrais da capital. A Casa atua como um polo de redes, criando um espaço permanente para construção coletiva de políticas e ações públicas por um Rio de Janeiro mais justo, democrático e sustentável.