Ciclo de encontros entre artistas e coletivos culturais se encerra na próxima quarta 15, a partir das 17h, no centro de Duque de Caxias

Na próxima quarta-feira, 15 de julho, o Território Baixada recebe, em Duque de Caxias, a secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Ivana Bentes, para um encontro aberto com artistas, produtores, pesquisadores e ativistas que irão debater políticas culturais e as principais demandas artísticas da Baixada Fluminense. E ainda tem show com a Panguajazz e uma performance com o artista plástico Ronald Duarte.

O encontro encerra o projeto que em 2015 cumpriu sua segunda edição reunindo mais de 60 debatedores, entre realizadores e artistas de diversas linguagens, em torno de temas como Artes Visuais, Cultura Urbana, Saraus, Patrimônio Imaterial, Redes e Estética, Cultura Digital e Ocupação de Praças Públicas, sempre com apresentações artísticas ao final de cada encontro e acontecendo em duas etapas: a primeira na cidade de Nilópolis e a segunda em Duque de Caxias.

Do resultado dos 9 encontros realizados desde o dia 30 de abril, a data em que comemora-se o Dia da Baixada Fluminense, há uma espécie de ‘mapa’ e ‘dossiê’ do que a cena cultural produz, nos dias atuais, na região, expostos pelos participantes e que, em breve, estará disponível na internet. Portanto, a discussão com a secretária Ivana Bentes irá partir do acúmulo de debates que o Território Baixada promoveu em 2014 e 2015.

Ao todo, quase 200 realizadores passaram pelo projeto nessas duas edições debatendo suas trajetórias, seus processos de criação, partilhando características tão singulares como a colaboração, a atuação em rede e a valorização dos aspectos locais, por exemplo. Demandas e dificuldades também foram apontadas por muitos coletivos e artistas que ressaltam, em suas participações, a urgência na consolidação de políticas que garantam a manutenção de obras e produções estéticas tão vibrantes como as que existem hoje, na região, sem qualquer incentivo.

“Importante frisar que há uma cena independente que não vem de partido político, da universidade, da mídia ou dos campos tradicionais artísticos: há décadas a Baixada Fluminense produz arte, e de muita qualidade, através de seus grupos culturais e artistas que criam, na marra, novos espaços de difusão, novas obras estéticas, novas linguagens e produção de sentido pra esse território sempre tão conhecido pelo o que falta e não pelo que tem de vibrante. Discutimos estética sim, política também e por isso que a cena da região é tão bem vista em outros lugares – nós militamos e criamos, a cena é uma das mais criativas de toda a metrópole, sem dúvida”, afirma Dani Francisco, produtora do projeto.

.

território baixada 2015

Do Território Baixada

Idealizado pela produtora cultural Terreiro de Ideias: Arte, Comunicação, Cultura, a segunda edição do Território Baixada teve início no dia 30 de abril, Dia da Baixada Fluminense, com um programa transmitido em tempo real, pela web, com o tema ‘Bando, Estética e Ação! BF é Nois’ com Valter Filé (TV Maxambomba) e Léo Peixe (Pirão Discos). Desde o primeiro encontro, a reunião de diferentes gerações nos debates também é ponto alto do Território Baixada.

Assim como ano passado, a edição de 2015 homenageou uma importante iniciativa cultural da região: o Centro Cultural Donana, que há três décadas, é celeiro de bandas de reggae, soul e rock em Belford Roxo, sem falar das inúmeras manifestações que continuamente são oferecidas gratuitamente para o bairro de Piam e adjacências como Capoeira, Cineclube, Artes Visuais, entre outros. O Donana foi o berço de bandas como O Rappa, Cidade Negra, KMD5, entre tantas outras. Através da Exposição Percursos e Trânsitos: Viva Donana!, que ficou aberta à visitação nos meses de junho e julho no próprio espaço, o projeto reverenciou esse baluarte da cultura de resistência da região.

Com o propósito maior de celebrar as iniciativas e potencializar os trânsitos com realizadores que atuam na cena criativa da Baixada Fluminense e também de outros territórios periféricos, o projeto esse ano trouxe mediadores de outras regiões do Rio, como Adriana Facina (antropóloga, pesquisadora da UFRJ), Ecio Salles (idealizador da Flupp), Renata Saavedra (doutoranda em Comunicação e Cultura pela UFRJ), Carlos Meijueiro (Norte Comum), entre outros.

.

Serviço

Data: 15 de julho de 2015, quarta-feira

Local: Biblioteca Gov. Leonel de Moura Brizola – Praça do Pacificador, centro, Duque de Caxias

Horário: A partir das 17h

Outras informações: territoriobaixada.com.br |

https://www.facebook.com/territoriobaixada?fref=ts |

Teaser:


heraldo hb

. Animador cultural, escritor e produtor audiovisual nascido no século XX. .

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookFlickrYouTube