Que rei é esse que veio da Goméia?

Seminário aberto à participação de pesquisadores, professores, estudantes e demais interessados nas questões afro-brasileiras. O evento pretende promover reflexões que possibilitem aprofundar o conhecimento sobre João Alves de Torres Filho, o famoso babalorixá Joãozinho da Goméia, que escolheu Duque de Caxias para viver.

O sacerdote do Candomblé de Angola nasceu na cidade de Inhambupe, na Bahia, em 1914 e mudou-se, em 1946, para Duque de Caxias. A sua atuação religiosa é observada como contribuição de grande relevância para a consolidação do Candomblé como uma religião de abrangência nacional.

Desse modo, por meio do Seminário, o Sesc oferece um espaço de socialização do conhecimento e de diálogo para construir pontes entre o passado, o presente e o futuro, romper barreiras de intolerância, estereótipos e criar perspectivas para uma sociedade mais justa e fraterna.

.

Confira a programação:

Dia 17/11

Credenciamento a partir das 11h.

Oficinas

11h às 15h Demonstração de culinária afro-brasileira; Cuidados para a pele negra e Oficinas de Turbantes, Trança Afro e Bijuterias Afro.

Palestras

13h 30 Abertura e performance artística de Dançarino do Grupo Ojuobá Axé

14h às 15h 30 – A TRAJETÓRIA DE JOÃOZINHO DA GOMÉIA E OS PRECONCEITOS ENFRENTADOS.

Palestrante: Elizabeth Castelano Gama – Mestre em História pela Universidade Federal Fluminense. Doutoranda em História pela UERJ; Autora do livro “Mulato, homossexual e macumbeiro. Que rei é este? Trajetória de João da Goméia (1914-1971)”.

Coffee break

Mostras/Apresentações

16h – Mitologia afro-brasileira – a tradição da sustentabilidade – Apresentação interativa sobre a história da África, e a relação com a natureza e conceito de sustentabilidade.

 

Dia 18/11

Credenciamento a partir das 11h.

Oficinas

11h às 15h: Jogos cooperativos de origem africana; Oficinas de Turbantes, Trança Afro e Bijuterias Afro; Saúde e saberes afrodescendentes: O poder das ervas populares; Demonstração de culinária afro-brasileira e Cuidados para a pele negra.

Palestras

13h40 às 15h – RELAÇÃO ENTRE SAÚDE E RELIGIÕES AFRODESCENDENTES

Palestrante: Marcio Luiz Correa de Mello – Doutor em Ciências pela Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz. Tecnologista em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz, Brasil.

Coffee break

15h30 às 16h50 – JOÃOZINHO DA GOMÉIA: CANDOMBLÉ, CULTURA E OS USOS DAS MÍDIAS.

Sua contribuição para reconhecimento do candomblé como religião com o uso estratégico da mídia.

Palestrante: Ricardo Oliveira de Freitas – Doutor em Comunicação e Cultura – UFRJ; Bolsista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação – UFF/CNPq, pelo Núcleo de Mídia e Etnicidade.

 

Dia 19/11

Credenciamento a partir das 11h.

Oficinas

11h às 15h Capoeira; Saúde e saberes afrodescendentes: O poder das ervas populares; Demonstração de culinária afro-brasileira; Cuidados para a pele negra; e Oficinas de Turbantes, Trança Afro e Bijuterias Afro.

MESA REDONDA

13h40 às 16h20 – JOÃOZINHO DA GOMÉIA: MEMÓRIA, PATRIMÔNIO E A ARQUEOLOGIA DOS TERREIROS.

A preservação do seu legado, enquanto patrimônio histórico cultural do estado do Rio de Janeiro, e do município de Duque de Caxias.

Convidados:

Sandra Reis dos Santos (Seci Caxi Axé Gomeia)– filha de santo de João da Goméia que seria a herdeira natural do terreiro de João em Duque de Caxias. Contudo devido a questões judicial e religiosa e o terreiro acabou abandonado.

Maria Lopes (Mãe Maria de Xangô) Matriarca da nação EfonOloroke, dirigente da casa Ile Ogum AnawejiigbeNiOman fundada em 1 de maio de 1951, no município de Duque de Caxias, passou a dirigi-lo em 1983.

Luciane Barbosa – Chefe do setor de Patrimônio Cultural Imaterial, do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural INEPAC /SEC.

Rodrigo Pereira – Arqueólogo e Antropólogo, Doutorando em Arqueologia – Museu Nacional da Quinta da Boa Vista/UFRJ; coordenador da equipe que está realizando a pesquisa arqueológica no Terreiro de Joãozinho da Goméia, localizado em Duque de Caxias.

Mediador: Nielson Bezerra, Diretor de Pesquisa do Museu Vivo do São Bento; Diretor Acadêmico da Feuduc; Professor Adjunto FEBF/UERJ.

Coffee break

 

16h30 – Apresentação de Capoeira e Maculelê – expressão cultural brasileira que mistura arte marcial, esporte, cultura popular e música. Desenvolvida no Brasil, principalmente, por descendentes de escravos africanos.

.

João Alves de Torres Filho, o famoso babalorixá Joãozinho da Goméia, que escolheu Duque de Caxias para viver.

.

SERVIÇO:

Que rei é esse que veio da Goméia?

17 a 19/11, 11h às 17h.

Grátis. Livre.

Local: Unidade Sesc Duque de Caxias

Rua General Argolo, 47

Tel.: (21) 3659-8412


heraldo hb

. Animador cultural, escritor e produtor audiovisual nascido no século XX. .

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookFlickrYouTube