DUQUE DE CAXIAS REALIZOU SUA I CONFERÊNCIA DO LIVRO E LEITURAInstituído pelo Decreto Federal 7.559 de 01/09/11, o Plano Nacional do Livro e Leitura, tem como objetivo gerar estratégia permanente de planejamento, apoio, articulação e referência para a execução de ações voltadas para o fomento do livro e faça com que todo cidadão tenha acesso aos meios de leitura.
Estruturado em quatro eixos e 18 linhas de ação, em seu Art. 11, o PNLL prevê o Prêmio VIVA LEITURA com o objetivo de estimular, fomentar e reconhecer, no âmbito nacional, as melhores iniciativas e experiências que possibilitem o hábito da leitura.

Como ninguém é forte sozinho, o PNll estabelece que sejam criados os Planos Estaduais e Municipais, face a necessidade de uma cruzada nacional de incentivo a esta cultura, considerando que o Brasil ainda é um dos Países que menos lê e possui os menores números de bibliotecas e livrarias.
Para discutir o assunto e incorporar o espírito do desafio, Duque de Caxias realizou sua I Conferência Municipal do Livro e Leitura dia 17/08/13 no Teatro Municipal Raul Cortez, das 8h às 13h.

Além de professores, escritores, ativistas culturais e agentes comunitários, marcaram presença no evento, o Secretário Municipal de Cultura e Turismo, o jornalista e cineasta Jesus Chediak, o Sub secretário, poeta e produtor cultural André de Oliveira, professora Marluce, Secretária Municipal de Educação, professor Celso Pansera, presidente da FAETEC, professora Shirlei Garrido, diretora da Rede de Bibliotecas Comunitárias de Duque de Caxias e Volnei Canônica, que representou o Istituto C & A de Responsabilidade Social .
Os trabalhos foram coordenados pelo professor Antônio Carlos de Oliveira, diretor da Biblioteca Municipal Governador Leonel de Moura Brizola, e principal idealizador da Rede de Bibliotecas Comunitárias, que atualmente funciona com quatro filiais. Antes de discutir os eixos que nortearam a Conferência, Antônio Carlos falou da importância de caminhar com o movimento popular organizado, compartilhando o interesse do hábito da leitura. – Ler, entender e interpretar o que está se lendo, é descobrir o mundo que ainda não é visto com os olhos do saber e do conhecimento – disse o educador, acrescentando que seu grande contentamento hoje é perceber que o atual governo municipal tem sido sensível e atencioso com as questões relacionadas à cultura, demonstrando entender também que precisamos de políticas públicas de leitura para que sejam consolidadas as verdadeiras transformações sociais.
– Quero que o nosso Plano Municipal de Leitura não seja um Plano de gaveta, mesmo porque nele a sociedade cível terá vez e voz, interagindo e participando sempre, uma vez que a nossa proposta é efetivamente estabelecer parcerias sérias com a iniciativa privada, 3 setor, poder público e sociedade em geral – disse Antônio Carlos que foi fervorosamente aplaudido por todos os presentes.

A Conferência aprovou as 18 linhas de ação a partir das ideias e propostas coletadas durante sucessivos encontros públicos durante quase dois anos e, de acordo com o professor Antônio Carlos, apenas alguns itens ficaram pendentes para serem discutidos em reuniões exclusivas, como é o caso da criação de um selo ou organização para editar e publicar os autores do município, além da Lei Municipal que vai regulamentar a Festa Literária de Caxias, instituindo-a ao calendário anual de atividades da Secretaria de Cultura e turismo.

Para o bibliotecário Jailton Lira, por ser uma experiência nova no Brasil, vamos ter que trabalhar muito para a implementação do plano num prazo razoavelmente próximo.
– A ausência de bibliotecas públicas, bem como a falta de profissionais deste setor no serviço público, constituem-se num grave problema que precisa ser reparado com urgência – observa o bibliotecário.

Os 4 eixos propostos pelo Plano Nacional do Livro e Leitura são:
1) – DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO AO LIVRO;
2) – FOMENTAR (Incentivar) A LEITURA E A FORMAÇÃO DE MEDIADORES;
3) – VALORIZAÇÃO INSTITUCIONAL DA LEITURA E INCREENTO DO SEU VALOR;
4) – DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA DO LIVRO.

Antenado com as tecnologias da educação e dono de uma visão ricamente empreendedora na área cultural de leitura e pesquisa, o professor Antônio Carlos disse que as portas da Biblioteca Municipal Governador Leonel Brizola, estão abertas para motivar os novos autores da região. que agora, a exemplo da zona sul, podem contar com um ambiente divinamente privilegiado para lançamentos de suas obras. O mesmo anunciou que inaugura em setembro/2013, considerável acervo de literatura de cordel, bem como documentário sobre este gênero de significativa importância na cultura brasileira. O evento contará com a presença do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel – ABLC, o poeta e professor Gonçalo Ferreira, ocasião em que aproveita para fazer o lançamento de seu mais novo trabalho, “Ciência em Cordel”, uma proposta inovadora, não de querer sofisticar o cordel, mas a de democratizar e aproximar do povo o saber e a ciência numa linguagem simples e poética que todos entendam e sintam-se parte do processo diversidade, livro e leitura. Lembrando que o acesso ao conhecimento desta modalidade literária, já é prevista em resolução do MEC.

 


J. Arimatéria Ferreira

Radialista/Jornalista, poeta popular e idealizador do Projeto Poesia & Ecologia

More Posts

Follow Me:
Facebook