Jornal Extra de 12/07/12

 

Cíntia Cruz

Duque de Caxias é a cidade mais rica da Baixada: representa 7,28% do PIB (soma das riquezas de uma região) do Estado do Rio. Apesar disso, tem uma taxa de desocupação (6,10%) superior às médias estadual (4,77%) e nacional (4,41%), segundo dados do Censo 2010 do IBGE. Mais de 44.500 pessoas não têm qualquer ocupação na cidade, que concentra a maior população economicamente ativa da Baixada Fluminense.

O servente de obras Jaelson da Silva, de 23 anos, está nas estatísticas de 2010 e vive o mesmo drama desde março deste ano.

— Me acidentei e agora vou começar a procurar — contou Jaelson, que mora com os irmãos no bairro Parque Capivari.

Para o IBGE, desocupação inclui falta de trabalho formal ou informal. E de informalidade, o pedreiro Jeffrey de Sant’ana, de 25 anos, entende. Ele trabalha desde os 10, mas na carteira tem apenas três anotações. Todas com menos de um ano.

— Faço biscate como pedreiro e serralheiro.

O secretário de Trabalho de Duque de Caxias, Jorge Cezar de Abreu, disse que se guia pelos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, que considera apenas empregos com carteira assinada.

— Se pegar o acumulado de 2009 a 2012, estamos à frente de toda a Baixada.

A Secretaria estadual de Trabalho e Renda informou que está buscando parcerias com grandes empregadores e que a agência do Sistema Nacional de Empregos (Sine) de Caxias tem se empenhado na captação de vagas. Já a Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico informou que vai estudar as causas do indicador.

Qualificação é determinante, diz especialista

O pesquisador Rodrigo Leandro de Moura, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), acredita que a qualificação profissional seja determinante para o problema do emprego em Caxias:

— Talvez falte mais trabalho para os menos qualificados — salientou.

A especialista de Desenvolvimento Econômico da Firjan, Tatiana Sanchez, disse que, em Caxias, não há relação entre desemprego e PIB:

— O PIB é pautado quase que somente pela Reduc (refinaria). É uma atividade intensiva em capital, máquina, equipamento, tecnologia. Não em mão de obra.

Segundo estudo da Firjan, Caxias gerou 2.420 empregos no primeiro trimestre deste ano.

Os percentuais dos municípios

7,46 %

Guapimirim: 3.252 sem ocupação.

6,72 %

Itaguaí: 6.215 desocupados.

6,21 %

Seropédica: 4.150.

6,15 %

Magé: 11.850 desocupados.

6,10 %

Caxias: 44.524.

6%

Queimados: 7.001 pessoas desocupadas.

5,85 %

Nova Iguaçu: 39.839 sem ocupação.

5,65 %

Mesquita: 8.188 desocupados.

5,46 %

Belford Roxo: 21.749 desocupados.

5,28 %

Nilópolis: 7.253 pessoas sem ocupação.

5,27 %

Japeri: 4.225 pessoas sem ocupação.

5,18 %

São João de Meriti: 20.451 desocupados.

4,77 %

Paracambi: 2.008 desocupados.

Leia as notas oficiais das secretarias estaduais de Desenvolvimento e de Trabalho e da Secretaria de Trabalho de Caxias:

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico:

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico tomou conhecimento dos dados do IBGE no momento de sua divulgação. A partir desta constatação vai procurar estudar a fundo quais as causas que provocaram esse indicador, acima da média de desemprego do país. Sem esse estudo seria imprudente emitir qualquer opinião a respeito. Vale destacar, que o Governo do Estado, dentro de sua política de atração de novos investimentos, vem descentralizando a economia, promovendo o interior do Estado e a Região Metropolitana.

Secretaria de Estado de Trabalho e Renda:

A agência Sine de Duque de Caxias tem se empenhado na captação de vagas locais e na intermediação de mão de obra, além dos demais serviços, como seguro-desemprego, microcrédito e emissão de carteira de Trabalho (1ª e 2ª vias). A Secretaria de Estado de Trabalho e Renda (Setrab) está buscando a parcerias com grandes empregadores, visando fomentar o seu banco de vagas.

Já a Prefeitura de Duque de Caxias tem convênio firmado diretamente com o Ministério do Trabalho e Renda (TEM) para a condução de políticas públicas de trabalho e emprego, pelo qual também mantém agências de atendimento ao trabalhador.

Por conta disso, as ações da Setrab, através do Sine, que ficam limitadas à intermediação de mão de obra para as vagas que já estão à disposição no mercado. Uma política de geração de emprego deve ser desenvolvida não somente pela Setrab, como também pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços e as Prefeituras Municipais, através dos seus órgãos pertinentes, oferecendo, assim, incentivos para instalação de empresas em determinadas regiões, que, nesta caso, aborda Duque de Caxias e cidades vizinhas.

 

Secretaria de Trabalho e Renda de Duque de Caxias

 

A Secretaria realiza um trabalho de mapeamento sócio-econômico, onde através de tendas itinerantes visita as comunidades realizando um cadastro com dados ( Idade, Experiência Profissional, Qualificações anteriores e sugeridas, necessidades de documentos etc), este cadastro alimenta um sistema de gestão, através do qual orientamos as necessidades da população desempregada. Este cadastro possui mais de 20.000 (vinte mil registros). É possivel também realizar o cadastramente on-line, através do site da Prefeitura (Duquedecaxias.rj.gov.br), onde o cidadão cria um login e uma senha, e consegue cadastrar e atualizar permanentemente seu cadastro. Cabe ressaltar que a Prefeitura de Duque de Caxias, foi a primeira em todo o Estado a disponibilizar esta ferramente on-line (Ano de 2009), inclusive sendo divulgado em reportagem do “JORNAL EXTRA – julho de 2009”.

 

Quanto aos processos de qualificação profissional, informo que as Secretarias de Trabalho, Emprego, Renda, Ciência e Tecnologia / Assistência Social e Direitos Humanos / Educação / FUNDEC, qualificaram aproximadamente 20.000 cidadãos Duquecaxienses.

 

Anualmente a FIRJAN – Federeção das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, divulga o IFDM – Indíce Firjan de Desenvolvimento dos Municípios, que foi criado com o objetivo de oferecer aos gestores públicos uma ferramenta eficaz e atualizada para implementação de políticas públicas e o acompanhamento dos resultado destas políticas.

 

O IFDMA mede as ações nas áreas de Educação, Saúde, Trabalho e Renda. Os pesos variam de 0 a 1. As medições são realizadas em todo o Brasil. No estado do Rio de Janeiro, pela primeira vez, Duque de Caxias ficou em primeiro lugar em todo o Estado do RJ, inclusive a frente da Capital. Outro dado importantíssimo – como a medição é nacional – Duque de Caxias ficous a frente também das principais capitais do País.

 

Para melhor ilustrar a argumentação, segue abaixo as pontuações dos municípios em Trabalho e Renda. Pode-se observar que Duque de Caxias, além de ficar pela primeira vez, em primeiro lugar em todo o Estado do RJ, também ficou à frente de “pesos pesados” a nível de Brasil.