Outro dia, aí por volta de uma sexta-feira, passando pelo cantão, chegando à Mantiqueira, caminho de Xerém, eu vi Deus! E estava à venda. Caro, mas à venda. Parei rapidamente por ali. Estranhei encontrar Deus por essas bandas. Já havia encontrado Deus outras vezes, poucas, mas já tinha. E estava quente aquele dia, mesmo naquele caminho. E Deus ali, parado, quase me olhando. Meu dinheiro era pouco pra comprar Deus. Na verdade, mesmo com muito seria difícil eu comprar Deus, não fico gastando dinheiro com supérfluos, e Deus vem de longe, não é dessas terras. Ainda mais que existem opções mais baratas. Quem vai querer saber de Deus podendo pagar mais barato por um, não similar, mas que promete quase as mesmas maravilhas?

Deus é bonito, elegante, afinal, é Deus. O mais raro, mais endeusado, produto que já vi à venda nesse nicho de mercado. E olha que há defensores e proselitistas de diversas vertentes contrárias e/ou similares à Deus. É um mercado e produto tão antigo quanto o homem, mas que sempre tem espaço para o crescimento. Muitos não encontram Deus, outros o abandonam. Alguns historiadores consideram que foram os egípcios que começaram com o seu culto.

O mais curioso é que Deus não estava num de seus locais usuais. Estava numa loja, exposto, quase como um bibelô. Algumas pessoas, como eu, paravam para olhar, muitos que nunca ouviram falar de sua existência. Muitos comentários, burburinhos, mas não consigo reproduzir nenhum, o comum era o espanto e admiração. Não era pra menos, até então deus era ignorado.
Deus em Xerém é algo que nos faz pensar. Mostra realmente como somos pouco importantes, somos quase ignorados. Na zona sul é até mais comum, claro que não se encontra na base dos 10 por 5 reais, mas nos shoppings e nas melhores casas do ramo, deus está lá.
Esse momento de encontro com Deus em Xerém me lembra a saída do apóstolo Paulo para converter os gentios. Os jesuítas vindo ao Brasil catequizar os índios, ou seja, talvez não seja coisa boa. Mas ali, em Xerém, naquela tarde, deus não se impunha, não forçava nada, não falava, apenas Era. O Eu Sou que se pronunciou para Moisés. Não consegui registrar em foto esse encontro, estava sem câmera. Mas postei um link no final para uma imagem de Deus, para que vocês O tenham na lembrança. Para mim só resta a memória desse encontro em Xerém, que me dá esperança em nosso município. Afinal, eu vi deus em Xerém, creiam, infiéis!

 

http://www.cervejasespeciais.com.br/site/images/stories/cervejas/deus.jpg