Quando postei de madrugada que o dia de hoje prometia, estava certo. A postagem era por conta da expectativa da assembleia da rede estadual que inauguraria a greve e o julgamento no STF que transformaria Eduardo Cunha em réu.
De fato até a previsão de tempo ruim deu lugar a um belo dia dia sol, que abrilhantou a emocionante assembleia e posterior ato dos servidores da educação no Rio. Mas nem todas as emoções do dia seriam boas. Neste dia fatídico de 02 de março, data em que completa 20 anos do acidente de avião que decretou o fim da banda Mamonas Assassinas, parando o Brasil, os profissionais da educação de Duque de Caxias em assembleia, paralisados, receberam a triste notícia do falecimento do grande companheiro Alexandre Antunes.
Representante de sua escola, estava sempre presente nas assembleias, atos e conselhos. Era um apaixonado por fotografia. Fez belos registros do movimento sindical, me deu muitas dicas de filtros e até quis comprar minha câmera. Sonhava em morar em Paquetá, bairro o qual fotografou com paixão. E assim me lembrarei dele, mas cada um que o conheceu terá uma lembrança. Nas redes sociais descobri que ele gostava de animais, gostava de jogar xadrez e estava sempre de bom humor.
Alexandre Antunes fará falta nesta e nas datas-bases futuras. Morre o homem, ficam as lembranças e os registros.
Alexandre Pereira Antunes presente!

Alexandre Pereira

Mais registros: https://plus.google.com/+FilipoTardim/posts/WKMBViwEhe3